restaurante

Os Contos do Sebastião

Já imaginaste um restaurante que consegue aumentar o tamanho dos pratos? O Sebastião conta-te o que viu e o fez pensar. 14-07-2022

Idade de leitura recomendada: entre 6 e 8 anos

 

O RESTAURANTE QUE FAZIA AUMENTAR OS PRATOS

Desta vez, o Sebastião foi ao restaurante para almoçar com os avós e os pais. Disseram-lhe que era um restaurante especial. Além de fazer comida muito saborosa e bem temperada, tinha um nome curioso. Chamava-se restaurante Prato Mágico.

Mal entraram, o Sebastião reparou num miúdo que parecia ter a idade dele e que estava sentado à frente de um prato de sopa. O prato estava cheio mas, essa criança comeu apenas três colheres e pôs o resto de lado.

- Mau Maria…diziam os pais. Estamos a começar mal...Ainda o Sebastião escolhia o que lhe apetecia almoçar, já aquele rapaz tinha escolhido o segundo prato. Explicava a toda gente que era o seu prato preferido e que por isso queria que lhe dessem um prato cheio.

Assim foi. O prato chegou cheio e quase cheio foi devolvido. Aquele rapaz a quem os pais chamavam Edmundo ria-se e fingia que não escutava o ralhete do pai e da mãe que o viam desperdiçar a comida que pedia.

 

A magia aconteceu e resultou…

De repente, algo se passou…A barriga do Edmundo começou a inchar, a aumentar, a aumentar e já quase a estoirar, o rapaz deixou de poder caber na cadeira. Teve que se pôr de pé em frente à mesa.

- Papá, Mamã, o que se passa comigo? Se continuo assim quando regressar à escola o mais certo é começarem a gozar comigo. Edmundo o pançudo! Edmundo, o pançudo, buchudo. Imaginava o que o esperava quando voltasse a encontrar os colegas de turma.

Nisto, os pais responderam ao Edmundo:
- Tanto desperdiçaste que inchaste. Aqui tens a resposta. Se queres voltar ao normal, tenta comportar-te com juízo. Ficas a saber que o resultado de ter mais olhos que barriga é mau e tem consequências…para ti mas também para os outros!

O Edmundo mantinha-se em silêncio e o Sebastião pensava sozinho…
- Mas por que motivo pediu ele tanta comida se sabia que era demais e que não a iria comer? É que deitar comida fora, é desperdiçar o que pode ser aproveitado por outras pessoas.

Os pais pediam as sobremesas e desta vez, o Edmundo em vez do prato cheio pediu um prato mais pequeno com uma salada de frutas. Mal a salada chegou, e ainda sem se conseguir sentar - tal era volume da barriga -, Edmundo mastigou cada pedaço de fruta e agradeceu.

Como por magia, a sua barriga começa a voltar ao normal. Edmundo aprendera a lição. Nada de desperdiçar o que pode ser aproveitado por outras pessoas. Os pratos mágicos daquele restaurante sabiam bem como lidar com crianças como o Edmundo que não sabem pedir a dose certa para comer.

 

O que é o desperdício?

Sempre que consomes mais do que aquilo que verdadeiramente precisas estás a desperdiçar. Quer dizer, imagina que te apetece comer batatas fritas com o teu hambúrguer. Se pedires uma dose excessiva, a quantidade de batatas fritas que não aproveitares serão desperdiçadas. Isto porque tu não as aproveitaste e mais ninguém as aproveitou, por muito que o quisesse. Tem cautela com o desperdício e evita-o.