Aprenda a descodificar o talão do multibanco

O Banco e Eu

Os termos nem sempre são fáceis de compreender, aprenda a descodificar alguns conceitos que constam no talão multibanco. 08-07-2015

Levantar dinheiro, consultar o saldo, fazer uma transferência ou carregar o telemóvel. Nos dias que correm é possível realizar inúmeras operações bancárias através das caixas de multibanco, desde que tenha alguns cuidados de segurança. Nomeadamente, pedir e guardar sempre o talão. Este documento tem os dados da transação, de quem realizou o movimento e outras informações relevantes.

Porém, quantas vezes não lhe aconteceu ir ao multibanco levantar dinheiro, pedir o talão e ficar sem perceber quanto dinheiro tem exatamente na conta porque não percebe os conceitos? O saldo contabilístico diz-lhe que a conta está recheada, porém o saldo disponível não o deixa levantar essa quantia. Confuso? Os termos nem sempre são fáceis de compreender. Por isso o Saldo Positivo ensina-o a descodificar alguns conceitos que aparecem num talão multibanco.

Levantamento: É o valor levantado através do cartão de multibanco. Em Portugal, os bancos não cobram por levantar dinheiro numa caixa de multibanco, no entanto, em outros países esta é uma prática comum. No talão aparece como Levantamento.

Compra com cartão: É o valor que gasta sempre que faz uma compra com o cartão multibanco. Por regra, fazer pagamentos em lojas com o cartão de multibanco não tem custo para o consumidor, uma vez que as lojas arcam com essa despesa. No talão, aparece como Compra cartão.

Pagamento de serviço: Sempre que efetua um pagamento de serviço, como seja a eletricidade, água ou telemóvel, ou se tiver o serviço de débito direto ativado, irá aparecer no talão como Pagamento de Serviço. Normalmente isto não traz custos adicionais ao consumidor. No talão aparece como Pag Serviço.

Estorno de pagamento: Acontece quando o comerciante lhe devolve o dinheiro gasto num determinado produto, porque o ato da compra foi cancelado. No talão aparece como STN.

Gestão de conta: Estas comissões estão associadas às despesas de manutenção da conta de que é titular. Podem ser cobradas mesmo quando não há movimentos na conta. Sempre que o saldo for zero ou de valor inferior ao das comissões, a cobrança fica pendente até que a conta esteja provisionada.

Imposto Selo: Ao valor da comissão de manutenção ou de gestão acresce imposto do selo de 4%, sendo o montante correspondente ao imposto cobrado juntamente com as comissões.

Pagamento de Baixo Valor: São transações que não requerem a introdução do PIN do cartão. Por regra trata-se de pagamentos de portagens ou telefones e o débito é efetuado em data posterior.

Transferência Transfronteiriça: São aquelas que ocorrem entre instituições de crédito em diferentes países. Os bancos são livres de cobrar comissões por estas operações. Note que podem subir consideravelmente se não indicar o NIB da conta do destinatário. Aconselha-se que leia o preçário antes de efetuar uma operação desta natureza.

Transferência Interbancária: Quando as transferências se efetuam entre contas abertas em diferentes instituições de crédito. Os bancos podem cobrar comissão pelas transferências interbancárias, por isso deverá analisar o preçário para descobrir o preço que cobram consoante o meio utilizado (internet, balcão ou ATM).

Transferência Intrabancária: São operações realizadas entre contas abertas na mesma instituição bancária. Por regra, os bancos isentam os clientes de pagar comissão ao fazerem um movimento desta natureza.

Saldo Contabilístico: Corresponde à diferença entre os créditos e os débitos na conta. Alguns montantes só podem ser movimentados mais tarde, não estando ainda disponíveis para utilização do titular. O saldo disponível da conta pode ser temporariamente inferior ao saldo contabilístico, como acontece, por exemplo, quando o cliente faz um depósito num multibanco. O montante depositado faz aumentar imediatamente o saldo contabilístico da conta, porém, só depois de conferir os valores depositados é que o banco reflete esse montante no saldo disponível.

Saldo Cativo: É um valor que não foi processado pelo banco e fica cativo até ser liquidado. Pode acontecer quando efetua compras ao fim de semana e o dinheiro não é imediatamente descontado, quando faz compras através da internet ou paga portagens. Fica cativo uns dias até ser descontado da conta bancária.

Saldo Disponível: É o valor que pode utilizar imediatamente sem recorrer a crédito, logo não fica sujeito a pagamento de juros, comissões ou encargos.

Saldo Autorizado: É o saldo disponível mais o valor a crédito que está autorizado a utilizar, nomeadamente, quando contrata facilidade de descoberto. Embora estes valores a crédito estejam disponíveis na conta, a sua utilização poderá implicar o pagamento de juros e outros encargos.

Número de Caixa: Apesar de serem propriedade da Sociedade Interbancária de Serviços (SIBS), todas as caixas de multibanco têm um banco de apoio. O número de caixa é o código de identificação da caixa de multibanco em relação ao banco de apoio.

Transação: É o número da transação efetuada.

Conta: É o número da sua conta bancária.

ID.: A Sociedade Interbancária de Serviços (SIBS) é proprietária da rede Multibanco e todas as caixas têm um número de equipamento, que identifica a máquina em relação à SIBS. Enquanto o número de caixa identifica a máquina em relação ao banco, o ID identifica o equipamento em relação à SIBS.