Como ganhar dinheiro extra no verão?

Negócios

Um negócio de verão é uma boa forma de conseguir aumentar os seus rendimentos. 01-08-2019

Tal como na história da cigarra e da formiga, há quem aproveite o verão para descansar e quem veja nesta estação de calor e de lazer a oportunidade perfeita para ganhar um dinheiro extra. 

Os dias são maiores, o ambiente é mais descontraído, quem está de férias cede a algumas extravagâncias e o número de turistas aumenta. Para quem quer ter um rendimento complementar, estão reunidas as condições para criar um negócio de verão.

O primeiro passo é pensar no que gosta de fazer. Tem um hobby? Pode rentabilizá-lo, vendendo os seus produtos ou serviços. Fez uma formação ou tem conhecimento de uma área diferente daquela em que trabalha? Porque não explorar esse saber? Há muitas formas de ganhar dinheiro no verão e, caso queira, há negócios que até pode começar já hoje. Outros podem necessitar de mais tempo, mas, se começar já, terá tudo pronto quando começarem as férias do próximo ano.

Deixamos aqui algumas ideias, mas certamente que, se pensar um pouco, vai descobrir que existem muitas outras formas de acrescentar mais alguns euros ao seu rendimento mensal.

Baby sitting

Tire partido do seu jeito para lidar com crianças e ofereça os seus serviços aos amigos e familiares que querem aproveitar as noites de verão para uma saída a dois ou até para um fim de semana romântico. Peça-lhes para divulgarem os seus serviços junto de outros amigos e verá que, dentro em breve, terá a agenda preenchida.

Investimento: baixo
Risco: baixo

Biquínis e acessórios de praia

Se gosta de moda e tem jeito para a costura ou trabalhos manuais, aproveite o verão para dar largas à sua criatividade e crie biquínis ou acessórios de moda, como cestos, toalhas de praia ou chapéus personalizados. Opte por materiais ecológicos e verá que o sucesso do negócio é ainda maior.

Investimento: médio
Risco: médio

Refeições e sobremesas light

Tem jeito para a cozinha? Gosta de inventar receitas e os seus amigos pedem-lhe para fazer determinada sobremesa ou para levar “aquela salada” para a praia? Faça deste dom uma oportunidade de negócio.

Quem está de férias não quer perder o seu precioso tempo de lazer na cozinha e isso joga a seu favor. As refeições e sobremesas saudáveis estão na moda e, no verão, têm a sua época dourada. Crie menus leves, que possam ser levados para um almoço na praia ou em casa de amigos. Inclua opções para crianças, intolerantes à lactose ou ao glúten, vegetarianos e vegans, etc. Escolha produtos da época e da região onde está e encontre formas de minimizar o desperdício.

Investimento: baixo
Risco: baixo

Alugar a casa

Tem uma casa na praia ou no campo que não vai usar durante o verão? Tem quartos vagos na sua casa? Alugar estes espaços a turistas é uma das formas mais conhecidas de rentabilizar imóveis. Plataformas como a Airbnb ou o HomeAway são a forma mais segura de o fazer, já que garantem não só que recebe os seus pagamentos a tempo e horas, como a integridade dos seus bens.

Em outubro de 2018 entrou em vigor a Lei n.º 62/2018, também conhecida por Lei do Alojamento Local. Informe-se sobre os direitos e obrigações antes de colocar a sua casa neste mercado.

Leia também: Como apostar no aluguer de curta duração.

Investimento: médio
Risco: médio

Tours e animação turística

Se conhece a sua cidade como ninguém, domina vários idiomas e gosta de conhecer pessoas novas vindas de outras partes do mundo, consegue fazer disso uma forma de vida ou, pelo menos, de ganhar um dinheiro extra.

Pode contactar empresas turísticas já existentes ou criar o seu próprio negócio. Neste caso, opte por fazer algo diferente daquilo que já é vulgarmente oferecido. Por exemplo, pode levar visitantes ao mercado e depois preparar com eles uma refeição tipicamente portuguesa, ou escolher percursos que não constem dos guias turísticos e que, por isso, não estão apinhados de gente.

É importante saber que as empresas turísticas devem estar obrigatoriamente registadas no Registo Nacional dos Agentes de Animação Turística. 

Investimento: médio (para quem criar empresa); baixo (se quiser trabalhar para uma entidade já existente)
Risco
: médio

Negócio de verão… ou para sempre?

Estas são algumas ideias simples e que não exigem grande investimento para começar. Em todo o caso, tente sempre perceber o enquadramento legislativo e fiscal de cada uma dessas atividades, garantindo que está a cumprir com todas as suas obrigações.

Claro que, se as coisas correrem mesmo bem, pode querer transformar este “amor de verão” em algo mais permanente. Neste caso, e para que seja mais fácil tratar de toda a documentação necessária, pode recorrer ao Espaço Empresa na página ePortugal ou aos balcões que existem um pouco por todo o país. E, caso precise de algum apoio financeiro para começar, tem a possibilidade de recorrer a linhas de crédito, como as que pode conhecer na Caixa Geral de Depósitos.

Leia também:  O que é o Balcão do Empreendedor?