As 6 tendências de negócios que deve ter em conta para crescer em 2020

Negócios

O ano de 2020 traz mudanças na esfera dos negócios. Saiba quais as principais tendências e como aproveitá-las. 31-12-2019

Um novo ano traz sempre novas metas e novas estratégias de negócio para alcançar os objetivos das empresas. E ao virar da década, assinalam-se tendências que devem orientar os próximos anos.

Torna-se fundamental estar atento às novidades para que se consiga adaptar mais facilmente às mudanças. Para o ajudar, selecionámos as seis tendências de negócio a ter conta em 2020, se quiser crescer.

1. Digitalização dos negócios

A digitalização dos negócios não é uma novidade e também não é uma moda. A inserção dos sistemas digitais na Indústria surgiu ainda nos anos 50 e tem evoluído rapidamente, sobretudo a partir da década de 90, com a popularização das tecnologias digitais, resultando na Indústria 4.0.

Para as empresas que ainda não promoveram uma transformação digital, é importante ter em mente que a digitalização pode trazer muitas oportunidades de negócio. Com o desenvolvimento da internet e das tecnologias digitais, o comportamento dos consumidores mudou - desde a forma como pesquisam por produtos e serviços, até à forma como os compram e pagam ou como se relacionam com as marcas. Por isso, em 2020 continua a ser imperativo que os negócios invistam na presença online e numa vertente do negócio que priorize a experiência digital do consumidor.

Na esfera da otimização de recursos, a Indústria 4.0 traz às empresas inúmeras potencialidades de crescimento e redução de custos. Seja pela automatização de processos e tarefas ou pela descentralização do talento, o futuro faz-se pela conetividade digital.

Dentro da indústria da tecnologia, a inteligência artificial, o blockchain e a realidade virtual continuam no topo dos assuntos em evidência. Os limites destas tecnologias continuam por definir, podendo ser virtualmente aplicadas a diversas indústrias e sectores.

Para as empresas que terão a transformação digital como meta para 2020, há linhas de crédito específicas para o apoio à digitalização, no âmbito da Indústria 4.0, com soluções de financiamento para micro, pequenas e médias Empresas.

Leia Também:Inovar é preciso

2. A Sustentabilidade

Climate Emergency” foi eleita a palavra do ano pelo Dicionário Oxford. Efetivamente, o ano de 2019 teve em evidência a temática ambiental. Responsabilidade ambiental e sustentabilidade, aquecimento global, poluição dos oceanos e ecologia foram assuntos recorrentes nos media e inseridos na pauta do mercado. Independentemente do porte, as empresas estão mais alerta para a necessidade de incorporar uma cultura ambiental que cause menor impacte.

Os consumidores, em geral, estão cada vez mais informados e interessados em conhecer as origens do que consomem. As marcas que não conseguirem acompanhar esta tendência correm o risco de colocar em causa a sua reputação e, em última instância, o seu negócio. Por isso, implementar políticas ambientais e uma cultura de sustentabilidade dentro das empresas é um passo fundamental para a prosperidade do negócio em 2020.

Com um volume crescente de empresas a investirem na sustentabilidade de produtos, processos de produção e embalagens, 2020 pode ser um ano definitivo para aqueles que querem acompanhar esta tendência.

Leia também:Guia para promover uma política de sustentabilidade

3. A Descentralização do talento

Home Office, Coworking, Conference Calls e afins. Os últimos anos têm trazido muitas novidades para o campo do talento das empresas. A forma como trabalhamos está a mudar e isso reflete-se na maioria das empresas. Também o papel do funcionário tem vindo a ganhar destaque neste cenário. Hoje em dia, as empresas reconhecem que os recursos humanos são o seu capital mais valioso.

A tendência para 2020 (e para os próximos anos) é a descentralização do talento, usando as novas tecnologias para potenciar o trabalho remoto. É também tendência a crescente valorização do desenvolvimento pessoal de cada funcionário. As chamadas soft skills passam a ter um papel decisivo no recrutamento de talento.

Leia também:Saiba como acolher um novo colaborador

4. A Proteção de dados

Com a entrada em vigor do Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados, também reflexo do avanço das tecnologias digitais na esfera do quotidiano dos consumidores e das empresas, os cidadãos tornaram-se muito mais sensíveis ao tema da privacidade.

Em 2020, é imperativo que as empresas continuem a apostar na segurança e boa utilização dos dados dos seus clientes, sob pena de sofrer pesadas multas e total descredibilização perante os consumidores. Cada vez mais, os dados são ouro.

Leia Também:Sabe o que é a autenticação forte?

5. As Experiências personalizadas

A comercialização de massas tem vindo a perder espaço no panorama de consumo. Os clientes querem, cada vez mais, usufruir de experiências personalizadas. Na prática, isto quer dizer que o cliente tem maior probabilidade de se identificar com os produtos propostos e, consequentemente, efetivar a compra.

Torna-se, assim, essencial que os negócios recolham o máximo de dados acerca dos seus clientes, permitindo assim criar experiências de consumo que os fazem sentir-se especiais e únicos. No crescente cenário de globalização, a personalização é cada vez mais importante.

No entanto, esta tendência está estreitamente relacionada com a proteção de dados. Por isso, para adotar esta estratégia, também é preciso ter em conta o Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados.

Leia Também:Como posicionar o seu negócio nas redes sociais

6. O Brexit e a desaceleração do crescimento económico

Além de ter em vista as tendências que podem orientar o sucesso do negócio em 2020, há outros fatores que devem influenciar o mercado e que devem deixar os empresários alerta - independentemente da escala do negócio.

O segundo trimestre de 2019 foi marcado pela desaceleração do crescimento da economia. Segundo as projeções do Banco Central Europeu, esta tendência irá manter-se no primeiro trimestre de 2020, com o setor industrial a ser o principal afetado.

Os principais motivos para este abrandamento do crescimento económica é o enquadramento de incertezas económicas e políticas a nível mundial, mas também o acentuado abrandamento do crescimento de mercados como a China e, a nível europeu, alguma instabilidade provocada pelo Brexit.

Leia também:

Como e Porquê ser PME Líder

Cibersegurança alerta para os riscos online

O que a caixa pode fazer por si?
No que diz respeito à renovação e à modernização da estrutura da sua empresa ou negócio, o Banco será sempre um aliado. Defina o caminho de crescimento e faça a sua proposta ao seu parceiro bancário. A CGD tem alternativas que o podem ajudar e implementá-lo com linhas específicas e dedicadas.