Quanto custa fazer Erasmus? Faça face às despesas

Formação e Tecnologia

Os seus filhos deixaram de ter fronteiras para aprender, atualizar conhecimento e pô-lo em prática. Quanto custa pagar um Erasmus? 30-05-2020

Preparar um roteiro de estudos para o seu filho no estrangeiro, numa universidade fora de portas, pode ser dispendioso. Saiba como calcular todas as despesas com que se vai confrontar e antecipe os custos de investimento desta modalidade de estudos universitários.

A criança, que ainda ontem estava a aprender a andar e a falar, já é um adulto e, agora, quer ter uma experiência no estrangeiro. Quando o seu filho sugere, pela primeira vez, fazer um semestre ou um ano em regime de Erasmus, é natural que surjam muitas dúvidas. Estará o meu filho seguro? Quanto custa fazer Erasmus? Como posso fazer face às despesas? Se o tema é novidade para a sua família, vamos aos primeiros passos.

Leia Também: Erasmus – prepara-se para esta experiência

 

O que é o Erasmus?

O Erasmus é um programa de intercâmbio de estudantes universitários e doutorandos que visa permitir aos estudantes melhorar as suas competências linguísticas e interculturais, ao mesmo tempo que lhes permite contacto com uma realidade diferente do seu país de origem. O intercâmbio pode ser realizado entre países do programa e países parceiros.

Este intercâmbio pode ter uma duração entre três e doze meses. No caso dos cursos de medicina ou arquitetura, esta estada pode atingir 24 meses. Em alguns casos, o intercâmbio pode incluir um estágio profissional. Os créditos obtidos no estrangeiro, quer pela frequência e conclusão de trabalhos e exames das várias áreas de estudo, quer pela frequência de estágio, são considerados e convertidos para a conclusão do curso e média final.

 

Leia Também: Soluções para investir na formação

 

Como calcular as despesas de um Erasmus?

Antes de ingressar no programa, a família deve analisar as despesas e consequente esforço financeiro. Embora possa haver alterações de última hora, é importante decidir, previamente, qual será o país de destino. Uma grande parte das despesas (viagens, alojamento, transportes dentro do país, entre outras) depende do nível do custo de vida do país de destino.

É importante definir não só a média mensal de despesas, como um valor de segurança que servirá para alguma situação de emergência. Neste exercício de planeamento, deve incluir o seu filho. Embora o orçamento seja de toda a família, é importante que ele reconheça o esforço e, eventualmente, contribua para as despesas (ganhando dinheiro com um trabalho de verão, por exemplo).

Para elaborar o mapa de despesas de Erasmus a que deve fazer face, deve considerar os aspetos que desenvolvemos nas linhas abaixo.

 

Leia Também: Os 14 podcasts para aprender e informar-se

 

Quais os custos com viagens?

Se o seu filho ficar a estudar no estrangeiro durante um semestre, ou até mesmo um ano, é possível que faça algumas viagens de ida e volta até casa. Ou seja em férias, aniversários, no Natal. Para receber o seu filho nestas datas especiais e matar saudades, deverá acautelar, desde já, as despesas relacionadas com a deslocação de avião. Além disso, o seu filho pode querer viajar para conhecer outras cidades ou países próximos de onde está a fazer Erasmus.

Se planear as viagens com antecedência, poderá poupar algum dinheiro nos bilhetes de avião. Faça simulações em plataformas como a Skyscanner, experimente datas e horários diferentes e compare. Outra dica é acompanhar os preços através do google flights, e ativar os alertas para os bilhetes com valores mais baixos.

As viagens ao fim de semana e nas primeiras horas da manhã são, normalmente, mais caras, pelo que poderá comparar diferentes possibilidades e escolher a mais económica.

Se o destino de origem for mesmo aqui ao lado, em Espanha, por exemplo, verifique também os preços da deslocação por comboio ou autocarro. Em alguns casos, fazer uma viagem um pouco mais longa pode significar uma poupança significativa.

 

Leia Também: Despesas no estrangeiro podem ser incluídas no IRS?

 

Quais os custos com alojamento?

De todas as despesas, esta é que mais preocupa os pais. Não só pela despesa em si, mas pela segurança e conveniência do alojamento. Especialmente no espaço europeu, alugar uma casa (ou até mesmo um quarto) pode não ser tarefa fácil. Dentro do próprio país, os custos irão variar de acordo com as condições do alojamento e sua localização. O ideal é encontrar um compromisso entre custo e qualidade, tentando fazer a pesquisa em locais fidedignos para evitar fraudes. Pesquise a reputação online do site e tente descobrir se há queixas.

Algumas universidades possuem um gabinete especificamente dedicado ao programa Erasmus+, onde os estudantes podem aconselhar-se, nomeadamente sobre o alojamento. Existem também algumas plataformas online onde pode fazer esta pesquisa. Entre elas destacamos a Erasmusu, a Beroomers e a AcademicHomes.

Pode ainda procurar residências universitárias, onde o seu filho terá acesso a um quarto, casa de banho e cozinha partilhados. As residências são frequentemente dentro do campus universitário, ou muito perto dele, pelo que esta opção poderá ser a mais económica. Elimina a necessidade constante de transportes mas o seu nível de privacidade pode ser menor. As informações sobre a disponibilidade e condições para alojamento nas residências universitárias são, geralmente, fornecidas pelo Gabinete de Relações Internacionais da universidade de destino.

 

Leia Também: Já conhece a chave móvel digital?

 

Quais os custos com despesas fixas?

Há um conjunto de despesas com as quais pode contar previamente. Por exemplo, a água, a luz, o gás e as telecomunicações (no caso de alugar um quarto ou casa) e alimentação.

Para saber com que valores pode contar, é importante perceber o custo de vida no país de destino. Fale com amigos, colegas e conhecidos e pesquise em fóruns e websites para fazer uma estimativa aproximada. Aos valores apurados, adicione uma almofada financeira de cerca de 10 % do total estimado.

Na categoria das despesas fixas, deverá ainda contar com os transportes. Se o alojamento do seu filho ficar suficientemente perto da universidade para fazer as deslocações a pé ou de bicicleta, os custos com transportes irão reduzir significativamente. Ainda assim, conte com um valor mensal para deslocações pela cidade (para fazer compras, encontrar-se com amigos ou, simplesmente, conhecer a cidade).

Se este alojamento implicar maior número de deslocações, consulte previamente as suas opções na cidade destino e respetivo preçário. Procure informações sobre os bilhetes combinados e passes para estudantes.

 

Leia Também: Ter o novo Documento Único Automóvel no smartphone

 

Quais os custos com Despesas variáveis

Conhecer a cidade, visitar os principais monumentos, conviver com outros estudantes e divertir-se. Tudo isto é normal (e expectável) para um jovem. Por isso, deverá definir, juntamente com o seu filho, um valor que considere justo e razoável.

Um dos aspetos importantes do programa Erasmus, além da experiência académica, é o facto de proporcionar ao seu filho um crescimento pessoal enquanto gestor das suas próprias finanças. Deverá, por isso, recorrer ao seu apoio para calcular quanto custa fazer um Erasmus e deixar a seu cargo a gestão das despesas e do dinheiro disponível.

Aliás, está de facto provado que, quanto mais cedo incutir ao seu filho a responsabilidade de gerir um orçamento, mais cedo ele irá adquirir as competências financeiras necessárias para a sua vida de adulto.

 

Leia Também: Innovation Challenge destaca literacia financeira

 

Que tipos de apoio existem para os estudantes em Erasmus?

Todos os estudantes ao abrigo do programa Erasmus+ estão isentos do pagamento de propinas, inscrições e exames. Têm também acesso gratuito aos laboratórios e bibliotecas da instituição de destino. No entanto, podem ser cobradas taxas para seguros ou quotas de associações de estudantes.

O programa Erasmus+ contempla também o acesso a bolsas de estudo para cobrir as despesas resultantes do processo de intercâmbio. Estas bolsas são limitadas e carecem de candidatura e posterior aprovação. O valor da bolsa varia conforme os países de destino e de origem do estudante, assim como a distância e o número de candidatos.

Os estudantes que tenham acesso à bolsa Erasmus recebem um valor fixo mensal enquanto estão fora do seu país de origem. O valor da bolsa é ajustado anualmente, em três grupos:

 

Bolsa Erasmus+ para Mobilidade de Estudantes - 2020/2021

 

Grupos

Países

Valor da Bolsa mensal para estudos

Valor da Bolsa mensal para estágio

Grupo 1
Países do Programa com custo de vida elevado
Dinamarca, Finlândia, Irlanda, Islândia, Liechtenstein, Luxemburgo, Noruega, Reino Unido, Suécia 390 €

490 €
Grupo 2
Países do Programa com custo de vida médio
Alemanha, Áustria, Bélgica, Chipre, Espanha, França, Grécia, Itália, Malta, Países Baixos340 €440 €
Grupo 3
Países do Programa com custo de vida mais barato
Bulgária, Croácia, Eslováquia, Eslovénia, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Macedónia do Norte, Polónia, República Checa, Roménia, Sérvia e Turquia 290 €390 €

 

Obtenha mais informações sobre as candidaturas e as condições de acesso ao Erasmus+ através do site do Programa

 

Erasmus: Checklist de despesas

O orçamento para fazer Erasmus pode ser muito variável. Viabilize esta experiência com escolhas low cost. Ou seja, opte por destinos menos caros; mais próximos de Portugal; com partilha de um apartamento do quarto, a cozinhar em casa; entre outras possibilidades low cost.  Sintetizamos alguns pontos de despesa:

  • Viagens de ida e volta
    Variáveis conforme com o destino, companhia aérea, volume de bagagens e data da viagem.
  • Alojamento
    Variáveis com a cidade de destino e o tipo do alojamento.
  • Outras despesas fixas
    Algumas das despesas fixas como água, luz e internet muitas vezes já estão incluídas no alojamento. Ficam sempre mais baratas, se optar pela partilha de um apartamento com colegas.
  • Alimentação
    É importante estimar as despesas com alimentação em casa e também na rua, em jantares com os amigos e confraternizações.
  • Lazer, escapadinhas e atividades culturais
    As atividades culturais e pequenas viagens tornam a experiência Erasmus muito mais enriquecedora, tanto para o crescimento profissional como pessoal. É, por isso, importante dedicar alguma parte do orçamento a esta finalidade.

Leia Também: