.
Fechar

Acesso Caixadirecta

Empresas
Particulares
Fechar

Acesso Caixadirecta

Empresas
Particulares

Filiais e Agências

Trabalhos de investigação no âmbito das filiais e agências da CGD e do ex-Banco Nacional Ultramarino.
Caraterização histórica e arquitetónica das instalações mais representativas do conjunto de balcões existentes.

BNU na Praia

Filiais e Agências BNU

A presença do BNU em Porto Amélia

Foto da casa arrendada pelo BNU em 1930 para estabelecer a sua subagência em Porto Amélia.

Ler documento
BNU na Praia

Filiais e Agências BNU

A presença do BNU na Praia

Foto da Dependência de Santiago.

Ler documento
BNU em Quelimane

Filiais e Agências BNU

A presença do BNU em Quelimane

Foto da Agência de Quelimane (1914).

Ler documento
Filial de Viseu

Filiais e Agências CGD

Filial de Viseu

Fotografia do edifício inaugurado em 1940.

Ler documento
Filial da Guarda

Filiais e Agências CGD

Filial da Guarda

Fotografia do edifício inaugurado a 10 de Agosto de 1942.

Ler documento
Filial de Vila Real

Filiais e Agências CGD

Filial de Vila Real

Assinalam-se, em 2016, os 128 anos de atividade da Caixa Geral de Depósitos na cidade de Vila Real.

Foto do edifício da Filial (1989)

Ler documento
Filial de Viana do Castelo

Filiais e Agências CGD

Filial de Viana do Castelo.

Edifício da Filial (sem data).

Ler documento
Filial de Leiria

Filiais e Agências CGD

Filial de Leiria.

Edifício da Filial - 1948.

Ler documento
Filial do BNU em São Tomé.

Filiais e Agências BNU

São Tomé e Príncipe.

A edificação da filial do BNU na cidade de S. Tomé.

Ler documento
Filial do BNU na Índia.

Filiais e Agências BNU

A presença do BNU na Índia.

Imagem da Agência de Bombaim.

Ler documento
Filial do BNU em Timor.

Filiais e Agências BNU

A presença do BNU em Timor.

A filial do Banco Nacional Ultramarino em Díli.

Ler documento
Filial do BNU em Lourenço Marques - Maputo.

Filiais e Agências BNU

A presença do BNU em Moçambique.

Filial do BNU em Lourenço Marques (Maputo).

Ler documento
Primeiras instalações do BNU em Bissau.

Filiais e Agências BNU

A presença do BNU em Angola - 1865 a 1926.

Filial do BNU de Luanda inaugurada em 1865.

Ler documento
Primeiras instalações do BNU em Bissau.

Filiais e Agências BNU

A presença do BNU na antiga Guiné portuguesa

Primeiras instalações do BNU em Bissau (1917).

Ler documento
Interior do BNU Rio de Janeiro. Filial inaugurada em 1913.

Filiais e Agências BNU

A presença do Banco Nacional Ultramarino no Brasil

1ª Filial do BNU no Rio de Janeiro, inaugurada em 1913.

Ler documento
Filial do BNU de Bolama, inaugurada em 1903.

Filiais e Agências BNU

Primeiras Filiais e Agências do BNU

A implementação da rede de agências do Banco Nacional Ultramarino.

Ler documento
Filial da Rua do Ouro

Filiais e Agências CGD

Filial da Rua do Ouro

Edifício com cave, rés-do-chão, 4 andares e águas-furtadas e reintegrado exteriormente no conjunto Pombalino.

Ler documento
Filial do Porto

Filiais e Agências CGD

Filial do Porto

Projeto elaborado entre 1924 e 1925 da autoria do arquiteto Porfírio Pardal Monteiro.

Ler documento
Filial de Braga

Filiais e Agências CGD

Filial de Braga

Palacete de meados do século XIX adquirido pela Caixa a 13 de Setembro de 1915.

Ler documento
Alcântara

Filiais e Agências CGD

Primeiras Filiais e Agências

1ª Sede da CGD - Junta de Crédito Público.
1ª Agência da CGD - Alcântara (1910)

Ler documento

Sabia que...

A História da Caixa contada através de documentos, datas, e fotografias.
Ao longo dos anos são muitos os momentos relevantes que nos ajudam a compreender a construção de um Património Histórico rico e variado como é o da Caixa Geral de Depósitos.

Edifícios sede da CGD

Sabe o que têm em comum estas duas fotografias?

As duas fotos, tiradas na mesma perspetiva, representam os palácios Sobral e Palmela, em épocas diferentes. Dois edifícios separados pela Rua da Rosa, em Lisboa, que serviram de sede da CGD entre o final do sec. XIX e março de 1993.

Arquivo Histórico da CGD

Sabia que reúne documentos de diversos Montepios?

Desde a fundação da Caixa Nacional de Previdência, da fusão dos diversos Montepios no Motepio Oficial do Estado e sua integração naquela entidade, que a gestão das pensões dos seus associados foi entregue à CGD que ficou com toda a documentação sob a sua responsabilidade.

Dia Mundial da Poupança

Sabia que se comemora a 31 de outubro?

Foi instituído em 1924, em Milão, por ocasião do Congresso Internacional das Caixas Económicas. Em Portugal, as comemorações iniciaram-se em 1969 e, em 1971, a CGD ficou incumbida de centralizar as diversas iniciativas e eventos de sensibilização para a poupança.

Edifícios Sede CGD

Sabe onde se situava a 1ª sede da CGD?

As primeiras instalações da CGD, aquando da sua fundação em 1876, situavam-se no atual edifício do Ministério da Justiça, na Praça do comércio (Terreiro do Paço), em Lisboa. Aí funcionava a Junta de Crédito Público que na altura era administradora da CGD.

Arquivo Histórico da CGD

Sabia que referencia o General Junot?

Um decreto assinado pelo “Exmº Senhor General em Chefe do exército de Portugal” (Junot) – comandante das tropas francesas aquando da invasão de Portugal – ordenou a transferência de 320.000 réis, da Junta do Depósito Público para o Real Erário, para custear as despesas das suas tropas.

Edifício Sede da CGD

Sabe quando foi lançada a 1ª pedra?

A 15 de julho de 1987, o Presidente do Conselho de Administração da CGD, Dr. Oliveira Pinto, lê o auto de lançamento da 1ª pedra e coloca o pergaminho no sarcófago depositado nas fundações do edifício, marcando o arranque oficial das obras de construção do edifício sede da CGD, na Av. João XXI, em Lisboa.

Ordens de Serviço

Sabia que a 1ª Ordem de Serviço regulava horas extraordinárias?

Emitida a 16/09/1898, a 1ª Ordem de Serviço da CGD regulava o funcionamento do serviço de horas extraordinárias, para fazer face a alguns procedimentos administrativos que periodicamente deveriam ser enviados para as entidades oficiais.

Crédito à Casa Real

Sabia que a CGD concedeu um empréstimo à Casa Real?

Movida pela necessidade de liquidar as dívidas provocadas por guerras civis, obras e gastos exagerados, a família real tomou algumas medidas de refrescamento dos cofres reais, incluindo um pedido de empréstimo à Caixa em 31 de dezembro de 1885.

Arquivo Histórico CGD

Sabia que o documento mais antigo data do Séc. XVI?

Trata-se de uma carta escrita em Roma, a 8 de maio de 1563, pelo Cardeal italiano Carlos Borromeu ao Prior da Ordem de Cristo, em Portugal, agradecendo o convite que lhe foi feito para se tornar protetor daquela Ordem.

Sede Social da CGD

Sabia que a transferência da sede social da CGD aconteceu em 1994?

Na sessão de 2 de março de 1994, o Conselho de Administração decidiu transferir a sede social da Caixa Geral de Depósitos, SA, do Largo do Calhariz para o nº 63 da Av. João XXI, com efeitos a partir do dia 14 do mesmo mês.

Fundação da CGD

Sabe que papel desempenhou António de Serpa Pimentel?

Foi um dos impulsionadores e responsável direto pelo Decreto que iria criar a CGD. Ministro da Fazenda, apresentou no Parlamento, a 11 de fevereiro de 1876, o projeto de lei nº 8 para a criação da Caixa Geral de Depósitos.

Filiais da CGD

Sabia que as filiais do Porto e Coimbra surgiram em janeiro de 1914?

Inicialmente alojadas em instalações provisórias, foram posteriormente construídos edifícios adequados e sumptuosos: o da filial do Porto projetado pelo arquiteto Porfírio Pardal Monteiro e o da filial de Coimbra projetado pelo arquiteto João Simões.

Peças de Coleção

Peças que espelham a riqueza da história da Caixa, desde o primeiro selo branco até ao certificador de assinatura, passando pela moeda de 10.000 reis emitida no reinado de D.Luis.

Peças de Coleção

Balança de precisão para pequenas massas

Fabricada em ferro forjado, alumínio e latão dourado, pesando até uma carga máxima de 1Kg. A sua utilização generalizou-se nas agências da Casa de Crédito Popular entre 1916 e 1958, para pesagens de objetos de penhora, pequenas jóias em ouro, prata e pedras preciosas.

Peças de Coleção

1º Selo Branco da CGD

Selo branco utilizado para autenticar os documento oficiais da CGD, a partir de 1876. A designação Junta de crédito Público surge na parte superior do selo, por ser esta entidade que, na altura, tutelava a CGD.

Peças de Coleção

Calendário de parede

Calendário com sistema manual de alteração de data e moldura em madeira escurecida. Foi utilizado nas Agências e serviços da Caixa Geral de Depósitos. Assinala o dia e o mês da comemoração do aniversário da fundação da Caixa, criada com a assinatura do decreto de 10 de Abril de 1876, pelo rei D. Luís.

Peças de Coleção

Certificador de assinaturas

Certificador em latão e chumbo, utilizado para certificar as assinaturas contantes do cheque. O funcionário do banco, após confirmar a autenticidade da assinatura, introduzia o cheque assinado no espaço a moldar, aplicando uma impressão em relevo de pequenos círculos, o que atestava a certificação da mesma.

Peças de Coleção

Mealheiro, símbolo da poupança

Em 1971, iniciaram-se em Portugal as comemorações do Dia Internacional da Poupança – 31 de outubro - sob a responsabilidade da CGD.
Para tal, a Caixa realizou, ente os ceramistas portugueses, um concurso de mealheiros. Este é o exemplar vencedor desse concurso.

Peças de Coleção

Os Relógios da CGD

Exemplar de um relógio de mesa, pertencente à coleção do acervo museológico da CGD. De estilo Império, francês, em bronze dourado e cinzelado sobre base de mármore, reflete, nos seus motivos decorativos, o interesse, na época, pela geografia e pela astronomia.

Peças de Coleção

Smith Premier nº3 (1899)

A coleção de máquinas de escrever da CGD apresenta várias marcas de diversos fabricantes. Abrangendo os finais do Séc. XIX, destaca-se a Smith Premier nº 3, de escrita invisível, pente de barras de tipos e um duplo teclado de 84 teclas.

Peças de Coleção

Primeiras Máquinas Portáteis

Versando um trajeto temporal e tecnológico, a coleção de máquinas de escrever da CGD apresenta várias marcas de diversos fabricantes. Desta coleção fazem parte a Corona 3 de 1926 e a Royal de 1930 que foram das primeiras máquinas portáteis da Royal e Smith Corona.

Peças de Coleção

Inutilizador de notas

Máquina utilizada nas filiais do BNU para inutilização de notas retiradas de circulação, aplicando 2 furos nas notas. Seguia-se o "Auto de Inutilização" com relação do número de série das notas. A destruição ocorria na Sede pelo fogo.

Peças de Coleção

Calculadora de juros

Datando da fundação da CGD, em 1876, esta máquina era utilizada para somar e calcular juros.

Peças de Coleção

Certificador de Cheques

Muito antigo, este certificador de chaques esteva patente na exposição "Os Primeiros da História do Banco" no verão de 2010.

Peças de Coleção

A moeda de 10.000 réis

Moeda em ouro de 10.000 réis, emitida no reinado de D. Luis. Anvervo: ao centro a figura do rei D. Luis e à sua volta a legenda ". LUDOVICUS . I . PORTUGAL : ET . ALGARB : REX . 1880". Reverso: ao centro as armas do Reino, encimadas pela coroa da monarquia, com indicação na base 10.000 REIS.

Peças de Coleção

Nota de 100 Patacas (Macau, 1906)

Emitida em Macau, em 1906, sobre esta notas foi colocada a sobrecarga "pagável em Timor" para aí poder circular, ainda antes da instalação da primeira agência do BNU em Dilí, em 1912.